Quanto custa e como funciona o telefone popular? (Aice)

A Anatel anteriormente tinha aprovado o PNBL, que é o Plano Nacional de Banda Larga, um projeto que tem como principal objetivo levar acesso a internet para todo o país com preços acessíveis até aos que antes não tinham condições. Dessa vez, os brasileiros que menor condições podem ter o “telefone social“, um programa que tem como principal objetivo popularizar a telefonia fixa em todo o país. “No último dia 04, foi aprovado o regulamento que tenta viabilizar o projeto, pela Anatel.

O custo da conta será de apenas R$9,90 por mês, sem cobranças indevidas de impostos. Inicialmente a ideia tinha sido lançada em 2005, onde o governo federal esperava 4 milhões de assinaturas, porém apenas 142 mil foram solicitadas e o projeto foi um fracasso naquela ocasião, pessoas que tinham uma renda melhor pagavam R$17,60 por mês para desfruir do serviço.

O novo projeto será destinado a pessoas que estejam inscritos em algum programa de baixa renda inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Se antes o pacote custava R$9,90, agora o interessado pagará apenas R$9,50. O pacote dará direito a 90 minutos mensais para realizar ligações para telefones fixos, ligações para celulares ou fora da cidade deverão ser feitas através de recarga.

O prazo anterior para que as operadoras instalassem a nova linha telefônica na residência era de 30 dias, esse prazo agora cai para uma semana, segundo a Anatel.

As famílias que recebem até um salário mínimo por mês terão prioridade no serviço nos primeiros 12 meses. Depois de um ano, os benefícios abrangerão o grupo de pessoas que tenha renda familiar de até dois salários mínimos. Após os 24 meses de serviço em vigor, será a vez de quem recebe até três salários mínimos.

Comente!

Comentários